WETLANDS BLOG

Conteúdos e eventos relevantes sobre a tecnologia wetlands construídos

  • Equipe Wetlands

Wetlands Construídos: uma solução para o tratamento de lodos de esgoto

Atualizado: 22 de Jan de 2020


O QUE SÃO AS UGL WETLANDS CONSTRUÍDOS?


As Unidades de Gerenciamento de Lodos (UGL) por Wetlands Construídos estão transformando o gerenciamento da fase sólida das ETE em uma atividade simples e rentável em locais onde há área disponível para implantação. Esta tecnologia vem sendo empregada mundialmente como uma solução altamente eficiente e de baixo custo operacional para a conversão dos lodos de ETE em recursos para a agricultura e recuperação de áreas degradas.


Ideais para populações equivalentes de até 150 mil habitantes, as UGL Wetlands Construídos recebem lodos dos mais diversos sistemas de tratamento de esgotos (sanitários, industriais e de fossas sépticas) substituindo as dispendiosas estruturas de adensamento, desaguamento e logística de destinação por processos passivos que convertem os biossólidos em composto orgânico.


As UGL Wetlands Construídos podem eliminar até 60% dos custos operacionais de uma ETE (municipal ou industrial), uma vez que o processo de tratamento é passivo e os custos com destinação final dos lodos é eliminado. Esses fatores podem ser decisivos para a viabilidade técnica e/ou financeira de uma ETE municipal ou empreendimento industrial, já que impactam diretamente nos valores a serem investidos e nas despesas recorrentes.


ASPECTOS CONSTRUTIVOS DE UMA UGL WETLANDS CONSTRUÍDOS

ugl wetlands, destinação de lodo, tratamento de lodo, gerenciamento de lodo

Uma UGL Wetlands Construídos pode ser implantada dentro da área de uma ETE ou fora dela. A principal diferença dessas duas abordagens é quanto à logística de transporte entre o ponto de geração e destinação de lodo. Esse aspecto de locação da UGL deve ser analisado num estudo de viabilidade técnica e financeira quando da concepção do sistema.


Essencialmente, uma UGL Wetlands Construídos consiste em leitos escavados em terra, com profundidade de 1,5 a 2,0 m, com fundo compactado e impermeabilizados com geomembrana de PEAD. Sobre o fundo dos leitos é montada uma rede de drenagem para escoamento dos líquidos percolados e camadas distintas de materiais filtrantes (brita e areia) de diferentes granulometrias. Sobre a superfície desses leitos é montada uma rede hidráulica para alimentação com os lodos provenientes diretamente dos reatores UASB, decantadores ou caminhões limpa fossa.


O principal diferencial dos wetlands construídos é que o sistema utiliza vegetação específica que cumpre diversas funções no processo de desaguamento e mineralização dos lodos (saiba mais em: a importância da vegetação nos wetlands construídos). Além de absorver água e nutrientes, a vegetação contribui com material estruturante (folhas, caules e raízes secas) que vão contribuir para uma relação C/N ideal para um bom composto orgânico. A vegetação também confere harmonia estética e paisagística ao sistema de tratamento, podendo servir como um forte ícone de marketing e sustentabilidade ambiental.


A ROTINA OPERACIONAL DE UMA UGL WETLANDS CONSTRUÍDOS

gestão de lodo, simplificação rotina operacional lodo, rotina de manutenção lodo, simplicidade operacional

Os sistemas wetlands para tratamento de lodos apresentam elevada simplicidade operacional. Como o processo de desaguamento e estabilização dos lodos ocorre naturalmente por processos físicos, químicos e biológicos, não há o consumo de produtos químicos ou a necessidade de máquinas e equipamentos.


Em resumo, a rotina operacional consiste em realizar um rodízio entre os leitos da UGL Wetlands Construídos, permitindo uma alternância entre alimentação e repouso. Os lodos são alimentados diretamente dos reatores, decantadores ou caminhões limpa fossa sobre os leitos filtrantes. Os sólidos suspensos presentes no lodo são retidos na superfície, enquanto o líquido percola pelo meio filtrante e retorna para a cabeceira da ETE. Os sólidos acumulados na superfície sofrem desidratação e mineralização ao longo de ciclos operacionais e só são destinados após períodos de 10 a 15 anos. Ao final do ciclo operacional, a camada de lodo acumulada, agora transformada em composto orgânico, é removida e preparada para aplicação na agricultura.


O processo de desaguamento e mineralização dos lodos na UGL Wetlands Construídos é mediado por processos físicos à semelhança dos leitos de secagem tradicionais (evaporação/escoamento), mas potencializados pela ação das raízes das plantas, que extraem água e nutrientes do lodo acumulado, e o leito com alta condutividade hidráulica abaixo da camada de lodo. A densa e diversificada comunidade micro