WETLANDS BLOG

Conteúdos e eventos relevantes sobre a tecnologia wetlands construídos

  • Equipe Wetlands

COVID-19: É hora de refletir sobre a nossa relação com o planeta

Em meio a uma pandemia de proporções globais, o que podemos aprender enquanto seres humanos?


O momento provoca medo, angústia e muita incerteza. Nos últimos meses vivenciamos catástrofes - rompimento de barragens, queimadas, enchentes - que explicitam a delicada e dependente conexão Humanidade & Natureza. Agora, mais uma vez, a nova pandemia do coronavírus nos incita à reflexão:


Como estamos nos relacionando com o planeta e com nós mesmos?

O que precisa ser diferente?

Como podemos fazer a diferença?



A Wetlands Construídos, enquanto empresa do setor de saneamento ambiental - crucial nesse contexto -, não poderia deixar de compartilhar algumas reflexões. Por isso, listamos algumas delas e selecionamos fontes interessantes para quem quiser mergulhar no assunto!


1. SIM, NÓS PODEMOS, E DEVEMOS, DESACELERAR.


O filme Koyaanisqatsi: Life Out of Balance (1982) revela preciosa mensagem indígena sobre a desarmonia da sociedade moderna com os ritmos naturais.


Mais recentemente, o conceito das Planetary Boundaries definiu os 9 processos ecossistêmicos que regulam a resiliência planetária. Quebrar estas barreiras, como já fizemos com várias, significa desestabilizar o delicado equilíbrio natural que permitiu à humanidade florescer no holoceno.


Saiba mais em:


2. NÃO SUPORTAMOS TAMANHA DESIGUALDADE.


Em 2019, os bilionários do mundo, que somam apenas 2.153 indivíduos, detinham mais riqueza do que 4,6 bilhões de pessoas.” (Oxfam, 2019)


Precisamos urgentemente rever nossas políticas públicas de distribuição de renda, tributação de fortunas, fomento à economia real e investimentos em saneamento ambiental.


O acesso ao saneamento, além de ser um direito humano e elencado pela ONU como o 6º ODS, está intimamente relacionado com a desigualdade social, saúde e dignidade.


Saiba mais em:


3. DEVEMOS REPENSAR NOSSA RELAÇÃO COM OS ANIMAIS.


Pesquisas internacionais demonstram:

- AIDS, H1N1, EBOLA e SARS surgiram em função da forma como nos relacionamos com os bichos. Com o COVID-19 não foi diferente.


Os Wet Markets na China, conhecidos por comercializarem carnes de diversos tipos de animais - inclusive silvestres - em condições muito insalubres, são apontados como provável origem dessa nova pandemia.


Será que esse é mesmo o único jeito nos alimentarmos?


Saiba mais em:


4. É NECESSÁRIO MANTER ECOSSISTEMAS INTACTOS.


O equilíbrio ecossistêmico, e a humanidade também, depende de deixarmos áreas naturais intactas.


O avanço humano predatório sobre florestas e outros refúgios naturais, sobretudo ocorrendo no limiar da miséria, aumenta o risco de contaminações zoonóticas, contra as quais não desenvolvemos imunidade. Foi assim com a AIDS e com o EBOLA. Pesquisas demonstram que também foi assim com a COVID-19.


A preservação de santuários da biodiversidade determinará o futuro da humanidade.


Saiba mais em:


5. NOS TORNAMOS UMA FORÇA GEOLÓGICA.


Em função das quarentenas, fechamento de fronteiras e redução expressiva no fluxo de pessoas no mundo, imagens de satélite registraram a redução nos níveis de emissão de gases estufa na Itália e na China. Notícias mostram os canais de Veneza com águas cristalinas, pela redução do fluxo de turistas.


Isso é uma comprovação de que a humanidade de fato se tornou uma força geológica.


Se nos conscientizarmos disso, reverteremos nossos impactos.


Saiba mais em:


6. ÁGUA, SANEAMENTO E HIGIENE: PARA TODOS. PARA SEMPRE.


Não é por acaso que Bill Gates vem direcionando recursos financeiros e humanos para o setor de saneamento!


Diversas publicações já demonstraram exaustivamente os prejuízos sociais e ambientais da falta de acesso à água potável, tratamento de esgotos e noções de higiene pessoal. Também já é de amplo conhecimento que as principais vítimas das doenças de veiculação hídrica e perda de dignidade são crianças, mulheres e idosos.


No Brasil, nossa infraestrutura de saneamento ainda está aquém da demanda. Apenas 46% dos esgotos são tratados no país. Uma das grandes lacunas desse setor é a dificuldade de viabilizar o saneamento em pequenos e médios municípios. Precisamos superar este cenário urgentemente.


É possível (e extremamente necessário) transformar a visão e relação das pessoas sobre água, efluentes e lodos.


Saiba mais em:

Essas foram algumas das nossas reflexões. Sinta-se convidad@ a comentar ou sugerir outras!


Que deste estado de reclusão, plantemos, cada um de nós, novas sementes de transformação e mudança. Que possamos reinventar, no âmbito pessoal e profissional, a nossa relação com o planeta. É com esse sentimento que nós, membros do time Wetlands Construídos, pretendemos superar esse momento!

65 visualizações
  • Branca Ícone Instagram
  • Branca Ícone LinkedIn
  • Branco Facebook Ícone
  • Branca ícone do YouTube

+55 31 3401-1155 / 9 7169-4060

wetlands@wetlands.com.br

Rua Professor José Vieira de Mendonça, 770, Sala 210 | Edifício BHTEC | Engenho Nogueira

Belo Horizonte - MG - CEP 31310-260

 

 

Acompanhe nossas redes